Os chamados jogos de FPS são a abreviação para “First Person Shooter” ou Tiro em Primeira Pessoa, em português. São games jogados da perspectiva do jogador que carrega uma arma. A história dos FPS se confunde com a dos videogames, já que os jogos de tiro foram parte do início dos primeiros títulos desenvolvidos.

Jogos como Doom e mais tarde Quake foram alguns dos nomes que deram o pontapé inicial para o sucesso do gênero. As regras podem ser as mais variadas, variando muito do jogo em si, como mecânicas, equipamentos extras, veículos e outros recursos.

CS:GO - Blast Pro Series Miami  — Foto: reprodução
CS:GO – Blast Pro Series Miami — Foto: reprodução

Títulos de sucesso

Counter-Strike: Um dos mais antigos e mais famosos jogos, o Counter-Strike surgiu em 1999 como um mod de Half-Life que se popularizou rapidamente através das lan houses. Desde o início, foi um dos jogos pioneiros na criação de competições e na profissionalização de jogadores.

Em 2012, o jogo ganhou uma nova versão, o Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO), que se mantém até hoje. Apesar de diversos modos no jogo, o mais popular e disputado competitivamente é de 5×5 com o objetivo de armar e desarmar a C4.

Overwatch: Um dos grandes nomes da Blizzard, o Overwatch aposta em personagens (atualmente são 33) de diferentes habilidades e recursos com o objetivo de tornar o jogo com muito mais variação. Também são diversas funções na equipe como Suporte, DPS (dano) e Tank (resistência).

CrossFire: O jogo lançado em 2007 já foi bastante popular no Brasil. Recentemente a equipe da Black Dragons conquistou o mundial da categoria na China, país onde o jogo ainda é extremamente popular. O game também já foi praticado por jogadores como Fernando “fer” e Gabriel “FalleN” que dividiam a jornada entre Counter-Strike e CrossFire ainda no início da carreira.

Rainbow Six Siege: Jogo da Ubisoft lançado em 2014, é um dos jogos de fps mais jogados da atualidade. Embora seja próximo do CS:GO no quesito de armar e defusar a bomba e nas equipes 5×5, o Rainbow Six Siege é completamente diferente no quesito de personagens e variações.

Cada personagem possui uma habilidade ou ferramenta específica e pode variar bastante a estratégia dentro de cada round. Ao final de cada round as equipes podem fazer novas escolhas de personagem, mudando novamente a estratégia. Além disso, o mapa possui lugares para “varar” os tiros e fortificações para proteger pontos chave do mapa.

Call of Duty: O jogo da Activision é mais um dos que assim como o CS, veio de épocas mais antigas e seguiu se atualizando até hoje. O título é extremamente popular nos Estados Unidos e foi responsável pela criação de algumas grandes organizações de eSports atuais como FaZe Clan e OpTic Gaming.

eSports

O CS:GO se destaca como cenário competitivo há mais tempo estabelecido, embora tenha a modalidade aberta, podendo ter campeonatos organizados por diversas produtoras como ESL, FACEIT ou StarLadder. Apenas dois eventos por ano são chancelados pela Valve, produtora do jogo.

No Rainbow Six o cenário é um pouco diferente. A Ubisoft organiza boa parte dos torneios de elite como a Pro League e os dois eventos globais (Six Major e Six Invitational) e o circuito é basicamente fechado. Apesar disso, também são promovidos torneios mais nacionais, com o Brasileirão.

A Blizzard aposta num sistema de franquias bem próximo aos utilizados em ligas como NBA e NFL. A Overwatch League apesar de disputada em Los Angeles na Califórnia tem franquias radicadas por várias cidades dos EUA e do mundo. Além da Liga Mundial, a equipe também promove as ligas regionais chamadas de Contenders.

O sistema de franquias é o que ocorrerá também com o Call of Duty. Atualmente a liga ainda conta com sistema de classificação, mas a partir de 2020 as organizações serão franqueadas. Até agora cinco cidades já confirmaram presença, são elas Toronto, Dallas, Paris, Nova York e Atlanta.

Via Sportv