A Holding de entretenimento voltada aos games e esportes eletrônicos, a BBL anunciou nesta terça-feira uma parceria com a Allegra Pacaembu – concessionária responsável pela gestão do complexo esportivo do estádio municipal na cidade de São Paulo. O local passará a contar com uma arena voltada a eSports, especializada no gênero Battle Royale (gênero no qual até 100 pessoas podem atuar simultaneamente) – classificada como a maior do mundo neste sentido. Haverá lugares para dois mil espectadores, com três mil metros quadrados de área.

Projeção da arena — Foto: Divulgação
Projeção da arena — Foto: Divulgação

A estrutura contará com 482 metros quadrados de painéis de LED, possibilitando múltiplas e simultâneas transmissões. A partir de 2021 a arena será temporariamente sediada no campo de futebol, em uma infraestrutura provisória, contendo toda a tecnologia da instalação permanente. O investimento total na arena será superior a R$ 95 milhões.

Participaram como embaixadores no anúncio o apresentador Willian “gORDOx”, Bruno “Nobru” (profissional de Free Fire), Felipe “brTT”, Júlia “Mayumi” (ambos do League of Legends) e Nicolle “Cherrygumms” (CEO da Black Dragons). Eles participaram da gravação de uma “carta aberta aos esportes tradicionais”, gravada em espaços tradicionais do Pacaembu – internos e externos.

– Já somos gigantescos, mas não estamos com os holofotes ligados. Ter uma área única e exclusiva para os eSports, em um nome com o Pacaembu por trás, é chancelar nosso nome no esporte eletrônico e também no tradicional – disse Cherrygumms.

A data final para entrega do complexo é o dia 27 de abril de 2023 – data que marca o aniversário do Pacaembu. A estrutura ficará localizada embaixo de onde hoje está a Arquibancada Laranja – já pensando no palco com espaço possível de ser expandido para dentro do campo. Dois anos antes, em 27 de abril de 2021, será estabelecida uma estrutura provisória, conforme retratado na imagem abaixo.

Projeção da arena provisória e da final — Foto: Divulgação
Projeção da arena provisória e da final — Foto: Divulgação

CEO da Allegra Pacaembu, Eduardo Barella detalhou os planos da demolição do Tobogã, histórico setor atrás de um dos gols do campo de futebol, e da construção da nova edificação – com direito a um centro de convenções, destinado a eventos para até sete mil pessoas. A ideia da administração é que três milhões de pessoas passem pelo complexo por ano, de maneira gratuita.

– É um projeto muito emblemático para a cidade. Estamos há dois anos trabalhando com tanto afinco. O Pacaembu é emblemático para a cidade de São Paulo, não há quem não tenha uma história com ele, amado pelos paulistanos e por todas as torcidas. Queremos trazer o Pacaembu de volta para sua origem. Ele foi concebido na década de 40 como complexo de cultura, esporte e lazer. Queremos voltar ele para os holofotes da cidade – afirmou o executivo.

Construção do novo complexo no Pacaembu — Foto: Rodrigo Faber
Construção do novo complexo no Pacaembu — Foto: Rodrigo Faber

– Será a Meca dos eSports no Brasil. O espaço, com a relevância do Pacaembu, vai ser um casamento muito legal. É um passo muito importante para o projeto e fico feliz de estar participando disso – afirmou Nando Cohen, CEO da BBL.

– Estamos honrados em avançar mais uma etapa colaborando com o impulsionamento do Brasil como referência mundial de esportes eletrônicos. Esta Arena representa uma nova fase não somente na vida dos gamers, mas em todo o ecossistema e cumpre a missão da BBL de fomentar e democratizar a cultura de games e eSports, conectando marcas, desenvolvedoras e consumidores – completou.

Comentários do Facebook