facebook-permissions-4

Todos já conhecem e utilizam muito bem o  aplicativo de mensagens do Facebook, o Messenger. Aliás, tem gente que ainda se pergunta o porquê o Facebook tem dois aplicativos tão parecidos, pois o WhatsApp tem funções semelhantes. A empresa de Mark Zuckerberg já trabalha muito para que aos poucos essas mudanças aconteçam.

O maior exemplo disso foi a declaração que o diretor de parcerias do Facebook, Julien Codorniou, fez em uma entrevista à revista Wired, afirmando que ainda há muito trabalho a fazer no aplicativo. “O Messenger está 1% concluído, costumamos dizer. Um dia, haverá empresas inteiras baseadas no Messenger, estamos no início desse ecossistema”, afirmou.

A ideia é bastante ousada. Um exemplo disso é que a empresa trabalhe o aplicativo de mensagens para se tornar uma ferramenta que permita que empresas se comuniquem com seus clientes, substituindo os próprios sites oficiais. Se tudo que a empresa deseja funcionar, será possível reservar um vôo sem sair da rede social, fazer reservas em restaurantes, fazer encomendas e realizar transferências financeiras. “Demos os primeiros passos de bebê, em milhões de passos”, disse o executivo David Marcus.

Há quem diga que os anúncios do Google poderiam sofrer uma queda, pois, com uma atualização que o Facebook fará ao seu aplicativo, fará com que trazendo as lojas de produtos anunciem dentro da rede social, através de novas seções de compras. “Nós vamos olhar para trás e dizer que 2015 foi o ano em que a revolução de mensagens aconteceu no mundo ocidental”, apontou o chefe de gerenciamento de produto do Facebook, Stan Chudnovsky.

Com esse grande objetivo da empresa de Zuckerberg, fazer o Messenger um aplicativo muito maior do ele é, também pode amentar o número de desenvolvedores voltados a criar novos recursos para a plataforma.

Agências/Business Insider

Reprodução

Comentários do Facebook